Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rubi.casaruibarbosa.gov.br/handle/123456789/1059
Título: Abajur de mesa em metal dourado e vidro
Assunto: Tiffany's Studios
Art-Nouveau
Data do documento: 1913
Imprenta : Estados Unidos da América: Tiffany Studios, c.1913
Resumo: Abajur de mesa em metal dourado e vidro. Hastes sinuosas, presas na parte superior por dois parafusos em forma de rosácea que abaixo, se unem em um pé, preso ao centro de uma haste circular, decorada em gomos. Abaixo, quatro pés esféricos em metal. Cúpula em vidro fosco terra, pregueado e montado em estrutura de metal dourado, tendo o interruptor em material sintético terra, com logotipo. No fundo da base, inscrição. Da base, sai por baixo, fio de tomada.
Descrição: Louis Confort Tiffany foi o filho do fundador da FIFTH AVENUE TIFFANY AND CO. e começou sua carreira como pintor, logo após a guerra civil nos Estados Unidos. Suas obras como pintor eram assinadas a principio L. Tiffany e depois Louis C. Tiffany, assinatura essa que usou quase sempre. As telas pequenas eram eventualmente assinadas L.C.T. O nome Tiffany Studios foi usado pela primeira vez em 1900 e portanto qualquer artigo com essa inscrição data do século XX. Entretanto, em 1900, a empresa já contava mais de 20 anos. O seu primeiro nome usado de 1879 a 1885 foi "Louis C. Tiffany And Co. Associated Artists". O titulo Associated Artists reportava àqueles artesãos que se ligaram a Tiffany, aceitando sua orientação na confecção de artigos decorativos. Depois de 1885, e até 1892, a empresa chamou-se Tiffany Glass and Decorating Co. De 1892 a 1900, chamou-se Tifany Glass and Decorating Co. Um outro nome adotado no período foi Allied Arts Co. Os objetos marcados com o monograma TG & Co. ou com as palaras Tiffanys Studios foram produzidas entre 1898 e 1902. Anteriormente a 1890, os produtos Tiffany destinavam-se principalmente ao consumo individual. Não visava ainda o consumo em massa e por esse motivo, não existia a propaganda ou mesmo catálogo de preços. Durante a década de 90, apenas seis peças de material promocional foram distribuídas. Os estudios Tiffany caracterizaram-se pela confecção de peças decorativas em metal e vidro. Os artigos produzidos em série eram numerados e marcados com o logotipo da firma.A palavra Fravile é uma criação Tiffany e se aplica a todos aqueles objetos produzidos sob a supervisão direta de L. C. Tiffany. Sua patente foi registrada em 1894. A palavra não se origina, como se pensava, da palavra alemã que designa cor, mas sim da palavra inglesa Fabrile, que significa "feito a mão", em 1892 foi usada ainda a palavra Fabrile, depois mudada para Favrile, a fim de que fosse uma palavra única e marcante. Durante as primeiras décadas do século XX a Tiffany criou mais de quinze padrões decorativos diferentes, utilizados em série de objetos de escritório confeccionados em metal - bronze ou cobre - e trabalhados por incisão ou relevo. Essas séries englobavam, além dos objetos que fazem parte do acervo da Casa de Rui Barbosa, calendários, agendas, porta-penas, caixinhas, escaninhos, porta-retratos, mata-borrões, espátulas, pesos de papel, cinzeiros e luminárias. Na verdade esses objetos não formavam conjuntos pré-determinados. Eram produzidos, apreçados e vendidos individualmente, cabendo ao comprador formar o seu próprio conjunto, de acordo com o padrão decorativo do seu gosto. Dentre os padrões decorativos fabricados estão o Abalone e o Zodiac, que figuram no acervo da Casa de Rui Barbosa
O estilo Art-deco possivelmente foi influenciado pelos figurinos da Cia. de Balé de Diaghilev, os Ballets Russes, foi especialmente dedicado à decoração e marcou o século XX no período entre guerras. Caracterizado pela geometrização, adotou como motivos principais as flores, frutos, os animais em movimento, raios de sol e relâmpagos estilizados. A descoberta do túmulo de Tutancamon em 1923 tornou a influência egípcia também predominante. Depois, nos anos 30 as formas geométricas que faziam com que os motivos decorativos se tornassem angulares, tornaram-se elas próprias os elementos decorativos - a geometria pura tornou-se a mania decorativa da época. Distinguiam-se duas escolas no art deco: a dos desenhistas de moda e a dos decoradores - voltados para a produção de moda e objetos supérfluos tais como acessórios femininos - frascos de perfume, caixas de pó, bijuterias, jóias, cigarreiras. E o grupo dos revolucionários cuja estética predominou nos anos 30, ligada às escolas de Arquitetura. Tendo como expoente máximo le Corbusier, reivindicavam a pureza das linhas e uma estética voltada para a máquina. A estética do Art-deco foi bastante aplicada à área da indústria, porém o progresso, exigindo a remodelação constante das fábricas fez com que a maioria desses artigos se perdessem. Perduraram, como testemunhos do estilo, apenas os objetos acessórios, o mobiliário e a arquitetura
A firma Tiffany Studios caracterizou-se durante o final do século XIX e o início do século XX, pela produção de peças utilitárias e decorativas em metal e vidro. Criada em 1879 com o nome de Fifth Avenue Tiffany and Co., dedicou-se até 1890 apenas ao consumo individual e personalizado. A partir dessa data, já sob a orientação de Louis C. Tiffany, filho do fundador, a empresa passou à produção em larga escala, imprimindo na base das peças o nome Tiffany Studios (New York) e o número de série. Passaram também, então, a ser impressos folhetos de propaganda e catálogo de preços. Em 1913, a firma desenvolveu um novo tipo de vidro prensado, chamado Favrile Fabrique ou Tiffany Linefold (linho dobrado). Esse vidro, que imitava tecido, foi usado com exclusividade em luminárias como a peça em questão
URI: http://hdl.handle.net/123456789/1059
Aparece nas coleções:Objetos de iluminação elétrica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
1.00023.09(1).jpg897,1 kBJPEGVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.